Suspensão

Rodar em vias e estradas mal conservadas pode acarretar diversos problemas mecânicos no sistema de suspensão, responsável por absorver os impactos do movimento do automóvel.

Buracos e irregularidades deslocam os pontos de fixação da posição inicial do sistema de suspensão, fazendo o carro perder conforto, dirigibilidade e segurança. Como a fixação é toda realizada por meio de parafusos ajustáveis, recomenda-se fazer com frequência a regulagem desses pontos. Este processo, chamado de geometria de suspensão, deixa as quatro rodas novamente centralizadas, formando um retângulo.

Muita gente confunde esse procedimento com o alinhamento. Mas a geometria, além de realinhar o carro, averigua outras especificações técnicas dos fabricantes: convergência, divergência, caster, cambagem, KPI ou SAI, Ângulo Incluso (SAI + Camber), set back (diferença do axial dos eixos), raio de giro e paralelismo total.

O mau funcionamento diminui a vida útil dos pneus, aumenta o consumo de combustível e o desgaste da banda de rodagem.

A manutenção preventiva deve ser feita em todas as revisões estipuladas pelo fabricante do veículo – ou pelo menos a cada sete mil quilômetros.

Este procedimento também é recomendada quando houver desgaste, troca de pneus ou substituições de itens da banda de rodagem.

A revisão no sistema de suspensão inclui a inspeção dos seguintes itens:
• Amortecedores
• Batentes
• Coxins
• Molas
• Buchas
• Bieletas
• Braços axiais
• Bandejas
• Pivôs
• Terminais

.
.
.

FALE CONOSCO